2 de set de 2011

Meninas e lobos...

"Não subestime os outros, nem os idolatre demais. Seja educada, mas não certinha. Não minta, nem conte toda a verdade. Dance sozinha quando ninguém estiver olhando. Divirta-se enquanto seu lobo não vem."


E quando seu lobo vier...
















10 de ago de 2011

Saudade

 

 Não me diga que ela é abstrata
Pois pra mim ela tem cheiro
ela tem gosto
E palpita no peito e até maltrata...
Eu a escuto
Eu a sinto, quase a toco.

E quando ela me toca me assusta me ameaça...
E tão poucas vezes me liberta
Faz-me sentir que os momentos foram bons
E se não fossem ela não existiria
Não sentiria seu cheiro
Seu gosto
E as vozes
Ela sequer me sufocaria...

A saudade tem o gosto da lágrima,
E por vezes tem o brilho de um sorriso
Ela tem várias vozes, tantos nomes.






 É poliglota
E por vezes idiota
Hora amarga hora doce
Ilumina,
escurece
É profana desatina...

É boa é má
É Alcoólatra
Encanta, me apavora...
Não me diga que ela é abstrata


Pois sei que
Essa saudade
posso até matá-la
E se não posso é ela quem me mata....



Por Moonlight.


Aos olhos da saudade como o mundo é pequeno.
Charles Baudelaire

7 de jul de 2011

Punhal de prata

Punhal de prata já eras,
punhal de prata!
Nem foste tu que fizeste
a minha mão insensata.
Vi-te brilhar entre as pedras,
punhal de prata!
-No cabo, flores abertas,
a gume, a medida exata,
exata, a medida certa,
punhal de prata,
para atravessar-me o peito
com uma letra e uma data.
A maior pena que eu tenho,
punhal de prata,
não é de me ver morrendo,
mas de saber quem me mata.
Inscrição na areia
O meu amor não tem
importância nenhuma.
Não tem o peso nem
de uma rosa de espuma!
Desfolha-se por quem?
Para quem se perfuma?
O meu amor não tem
importância nenhuma..."
(Cecília Meireles)